quinta-feira, 17 de abril de 2008




Shalom!
Ele é o responsável por trazer o Krav Magá, defesa pessoal israelense, para o Brasil.
Entre uma aula e outra, bati um papo com Kobi Lichtenstein, o Mestre Kobi!
Kidá! *

PIT– Mestre Kobi, o Krav Magá está completando 18 anos no Brasil. Como foi o início? Conte como foi trazer o Krav Magá para o Brasil...
MK - Trazer o Krav Magá para cá foi trazer uma nova cultura, um novo caminho de pensamento. No início foi difícil a aceitação das pessoas, até para falar Krav Magá era complicado, as técnicas foram fáceis de ensinar, mas o pensamento e a cultura, não. Mas, mesmo com todas as dificuldades que qualquer pioneiro tem, o Krav Magá foi se estruturando aos poucos, degrau por degrau e cada vez mais se solidifica. O número 18 na religião judaica é um número muito importante: significa Vida, em hebraico Chai. A letra iud equivale ao numero 10 e o het ao 8. Os 18 anos eram para ser comemorados com muita ênfase, mas decidimos esperar mais dois para celebrar os 20 anos de Krav Magá no Brasil, juntamente com o centenário do criador do Krav Magá Imi Lichtenfeld (Z"L). Será um gigante passo na divulgação do Krav Magá no país.

PIT - Atualmente o KM tem mais de 40 instrutores formados e está presente em 10 estados tudo sob a sua supervisão. Como é controlar e manter a qualidade de instrutores, cursos, etc?
MK -
A gente tenta imitar fielmente as nossas aulas e todo nosso trabalho como fez Imi, o criador do Krav Magá. Ele sempre enfatizou dois pontos principais: primeiro: ser educador é levar o povo no caminho certo e o segundo, se importar com a qualidade do nosso trabalho. Muito importante para mim, que no Brasil, longe do país de origem, a qualidade seja guardada da mesma forma que o criador fez e ensinou. Por isto, faço controle sobre meus instrutores de forma muito rígida, não importa se eles estão a milhares de quilômetros da matriz, que é no Rio de Janeiro, mas temos um contato constante, supervisionando cada ato e passo que eles fazem. Me preocupa se as aulas deles serão exatamente iguais a minha, para que o resultado do ensino não seja afetado. Em reconhecimento a isto já ganhei 6 prêmios de qualidade chancelados por entidades de reconhecimento governamental.

PIT - Você tem relatos de alunos que já tiveram que usar o Krav magá em alguma situação? Como se saíram?
MK -
Muitos dos meus alunos em vários estados do Brasil já precisaram fazer uso do que aprenderam em nossas aulas em algumas situações, em todos os casos os resultados foram sucesso. Como sempre digo, o Krav magá é simples, rápido e objetivo e traz respostas para qualquer tipo de agressão. Depois de algum tempo de treino a reação vira instintiva e totalmente segura.

PIT - Como foi treinar com o criador do KM Imi Lichtenfeld (Z"L)? Como você se sente difundindo os ensinamentos dele?
MK
- Imi foi uma pessoa diferente, cada palavra que ele dizia, se você realmente conseguisse entender, era uma palavra de sabedoria. Imi não ensinava simplesmente uma técnica, mas por trás de cada movimento tinha uma sabedoria. Quando se está no lugar de alguém com o nível de grandeza do Imi, você sente que falta algo, que não se consegue chegar ao nível dele, é um constante desafio tentar chegar a perfeição que as aulas dele foram.

PIT - O que o Krav Magá deixa de legado em quem pratica? Auto confiança? Força de Vontade?
MK - Não falo sobre os que fazem poucas aulas, e sim, naqueles que tem alguma experiência, graduação. O Krav Magá mostra para eles um novo caminho de vida, eles não são os mesmos de antes de praticar o Krav Magá. Eles olham para a realidade da vida diferente, entendem e sentem as coisas diferentes. Entram num caminho de vida mais objetivo, mais prático e usam alternativas mais simples nas coisas mais difíceis, procuram simplificar e não dificultar, tem coragem para seguir os caminhos da vida sem medo de mudanças.


PIT - O que você diria para quem ainda não pratica o Krav magá?
MK - Eu diria para entrar no nosso site www.kravmaga.com.br escolher uma academia, conferir nossas aulas e descobrir como a vida pode ser diferente!


PIT - Você tem a sensação de dever cumprido? O que falta fazer ainda?
MK - A gente sempre tem algo para fazer. O próximo passo é realizar a festa de 20 anos do Krav magá no Brasil e conseguir ensinar Krav Magá para 4 bilhões de pessoas!


PIT – Durante este tempo você passou por alguma situação embaraçosa ou divertida que possa nos contar?
MK - Bom, aconteceu uma situçao, assim que cheguei ao Brasil. Estava dentro de um ônibus e um sujeito encostou uma arma na minha cabeça. Não entendi nada, eu ainda nem sabia falar português direito, e em Israel, quem aponta uma arma é para atirar. Enfim, desarmei o cara e só por estarmos aqui agora falando já mostra que foi sucesso.


PIT - Qual o seu maior sonho?

MK - Ver todos aqueles que precisam se defender prontos para a guerra!

PIT - Você escreveu alguns livros. O que te levou a escrevê-los?
MK -
Eu lancei 3 livros. O primeiro teve como objetivo levar a filosofia e o caminho do Krav Magá para aqueles que já tinham algum conhecimento. O segundo é um livro mais especializado, feito pela necessidade de dar um manual para aqueles que aprenderam e precisaram relembrar as técnicas em nível de segurança. Já o terceiro, "Krav Magá A Filosofia do Exército Israelense", por ser o Krav Magá já bastante conhecido, ele foi feito a pedidos, para aqueles que não tem condições de chegar até uma academia,
poderem ter contato com as técnicas. Este é o mais completo dos três, tem mais de 700 fotos e várias páginas sobre o criador, a origem, a filosofia, enfim, a parte acadêmica do Krav Magá.

PIT - Você pretende escrever mais livros?
MK - Sim, com certeza. Já tenho o projeto, mas prefiro não falar sobre ele agora. O que posso adiantar que vai ser diferente de tudo e vai surpreender! Aguardem!

PIT - Muito Obrigada por tê-lo aqui. Este Espaço é seu!
MK - Obrigado Eu! Gostaria de dizer para quem quiser saber mais sobre o Krav Magá e o que será a festa comemorativa dos 20 anos que acesse os sites
www.kravmaga.com.br e www.kravmaga2010.com


* Kidá é a reverência que se faz no Krav Magá.



2 comentários:

kombato disse...

Salve! Gostei muito da entrevista.

Parabéns Mestre Kobi, pelo sucesso.

Mestre Paulo Albuquerque

Jayson disse...

Ótima entrevista!!
Parabéns!